Dialetologia e Diacronia

O grupo Dialetologia e Diacronia estuda a variação linguística no espaço e no tempo, sob diferentes perspetivas teóricas e abrangendo diversas áreas da gramática. Tem como objetivo geral ampliar o conhecimento sobre as propriedades das línguas naturais, com a particularidade de centrar a sua investigação em variedades linguísticas não padrão. Este traço distintivo traduz-se na produção de resultados em duas linhas complementares.

Geolinguística: design, construção e disponibilização de recursos (edições de textos, léxicos, atlas linguísticos e corpora anotados) para suportar a descrição e compreensão de variedades históricas e contemporâneas do português, e ainda de outras variedades linguísticas relacionadas (caso das variedades do caboverdiano).

Linguística teórica: análise de dados de variação linguística, em particular no âmbito da sintaxe e da semântica comparadas, à luz de propostas científicas que permitem melhor compreender a linguagem humana.

Estas duas linhas de produção funcionam aqui em articulação estreita, tanto do ponto de vista interno à criação dos diferentes recursos como quanto à base empírica que estes proporcionam a muitos dos trabalhos científicos dos seus membros e colaboradores. De facto, princípios e procedimentos da área das humanidades digitais são partilhados por diferentes corpora geridos pela equipa, estando estes igualmente codificados em XML e alojados na plataforma TEITOK: um deles suportado por uma vasta coleção de textos de escrita quotidiana da idade moderna; outros suportados por um extenso arquivo sonoro de variedades do português contemporâneo; e um outro ainda suportado por um arquivo sonoro de variedades contemporâneas do caboverdiano. Ao mesmo tempo, investigadores do grupo utilizam com frequência estes mesmos recursos para explorar uma grande diversidade de tópicos, sob diferentes ângulos e para diversos fins.

Todas as ferramentas digitais são assim concebidas com esse horizonte multidisciplinar, facultando complexas camadas de anotação linguística em paralelo com informação não linguística relevante, bem como uma vasta gama de possibilidades de busca automática acessíveis a toda a comunidade.

Livro
Carrilho, E., Martins, A. M., Pereira, S., & Silvestre, J. P. (2019). Estudos Linguísticos e Filológicos Oferecidos a Ivo Castro . Lisboa: Centro de Linguística da Universidade de Lisboa.
(2020). Gramática do Português. (E. B. P. Raposo, Bacelar do Nascimento, M. F., Mota, C., Segura, L., Mendes, A., & Andrade, A., Eds.) (Vol. III). Fundação Calouste Gulbenkian.
Capítulo de Livro
Peres, X. A. A., & Segura, L. Les désignations romanes de la perdrix. In (Vol. 2c. Cartes / Commentaires). Roma: Instituto Poligrafico & Zecca dello Stato / Libreria dello Stato.
Cardoso, A. (2018). Discontinuous noun phrases and remnant-internal relativization in the diachrony of Portuguese. In Word Order Change (Martins, A. M. and Cardoso, A.). Oxford/New York: Oxford University Press.
Cardoso, A., Sebastião, I., & Teixeira, C. (2018). Escrita colaborativa no ensino superior: análise exploratória da interação entre pares no quadro do Interacionismo Sociodiscursivo. In Brocardo, T. Lisbon: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas.
Cardoso, A., Sebastião, I., & Teixeira, C. (2018). O resumo de artigo científico: exemplo de um percurso didático em escrita académica. In Osório, P. Leurquin, E. & Coelho, M. C. (orgs.). Lugar da gramática na aula de Português. Rio de Janeiro: Dialogarts.
Costa, A. L., Rodrigues, S. V., & Sebastião, I. (2018). Para que serve a didática? In Correia. In (L. G. and Leão, R. and Poças, S.). Oporto: CIIE - Centro de Investigação e Intervenção Educativas / Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto.
Martins, A. M., & Cardoso, A. (2018). Word order change from a diachronic generative syntax perspective. In A. M. Martins & Cardoso, A. (Eds.), Word Order Change. Oxford/New York: Oxford University Press.
Martins, A. M. (2018). Infinitival complements of causative/perception verbs in a diachronic perspective. In Complement Clauses in Portuguese: Syntax and Acquisition (Gonçalves, A. and Santos, A. L.). Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing.
Pereira, S. (2018). Os verbos lembrar e esquecer: os dados dialetais nas entradas lexicais. In da Universidade do Estado da Bahia (Santos, E. S. and Almeida, A. A. D. and Neto, N. A. S. (orgs.). Olhares sobre o Léxico. Perspectivas de Estudo. Salvador: EDUNEB –). .
Saramago, J. (2018). O galego e o português no tempo e no espaço. In Obreiro da língua, amigo da xente (X. Álvarez Perez and M. Brea). Estudos de xeografía linguística en homenaxe a Manuel González. Santiago de Compostela: Universidade de Santiago de Compostela.
Saramago, J. (2018). «Dialectal», «provinciano», «regional». In («arcaico» y «desusado» en dicionários del português europeo. In M. Alvarez de la Granja and E. González Seoane). Madrid/Frankfurt am Main: Iberoameriana Vervuert.
Costa, A. L., Alexandre, N., Santos, A. L., & Soares, N. (2008). Efeitos de modelização no input: o caso da aquisição de conectores. In Textos seleccionados do XXII Encontro da Associação Portuguesa de Linguística. S. Frota e A. L. Santos. Lisboa: APL.
Ambar, M., Mateus, M. H., & Mota, M. A. (1980). Adéquation des modèles théoriques à l’enseignement du portugais-langue étrangère. In Encrages (pp. 66-73). .
Bazenga, A. (2012). Variation in subject-verb agreement in an insular dialect of European Portuguese. In Non-dominating Varieties of pluricentric Languages. Getting the Picture. In memory of Prof. Michael Clyne (pp. 335-356). ISBN: 978-3-631-62024-3.
Bazenga, A. (2011). Concordância Verbal e variantes de 3ª pessoa do plural em PE: Resultados preliminares de um estudo sociolinguístico com base numa amostra de Português Falado no Funchal. In Línguas Pluricêntricas: Variação Linguística e Dimensões Sociocognitivas / Pluricentric Languages: Linguistic Variation and Sociognitive Dimensions (pp. 301–318). ISBN: 978-972-697-201-3.
Cardoso, A. (2012). Extraposition of restrictive relative clauses in the history of Portuguese, in Parameter theory and linguistic change. In (pp. 77-96). Galves, S. Cyrino, R. Lopes, F. Sandalo & J. Avelar. Oxford: Oxford University Press.
Cardoso, A. (2008). Desenvolver c ompetências de análise linguística, in Desenvolver Competências em Língua Portuguesa. In (pp. 137-172). Sousa & A. Cardoso. Lisboa: Centro Inderdisciplinar de Estudos Educacionais / Escola Superior de Educação de Lisboa.
Cardoso, A. (2003). O texto informativo/explicativo no 1º Ciclo, in A Didáctica das Línguas e Literaturas em Portugal: contextos de emergência, condições de existência e modos de desenvolvimento. In (C. Mello and A. Silva and C. Lourenço and L. Oliveira and M. H. Araújo e Sá. Coimbra: SPDLL and Pé de Página, pp. 75-80). .
Duarte, I., & Costa, A. L. (2004). The place of Portuguese as a First Language in the National Curriculum of Basic Education, in Flexibility in the Curriculum, Citizenship and Communication. In . Lisboa: ME-DEB.
Carrilho, E., Magro, C., & Pereira, S. (2004). Morphological Tagging and Syntactic Annotation of a Dialectal European Portuguese Corpus, in Language Technology for Portuguese: shallow processing tools and resources. In (pp. 73-87). Branco, A. Mendes & R. Ribeiro. Lisboa: Colibri.
Martins, A. M. (2014). Syntactic change in Portuguese and Spanish: divergent and parallel patterns of linguistic splitting, in Portuguese/Spanish Interfaces. In (pp. 35-64). Amaral & A. M. Carvalho. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins.
Martins, A. M. (2013). Copiar o português duocentista: A Demanda e o José de Arimateia. In Ao Sabor do Texto. Estudos dedicados a Ivo Castro (pp. 383-402). R. Álvarez, A. M. Martins, H. Monteagudo & M. A. Ramos. Santiago de Compostela: Universidade de Santiago de Compostela.
Martins, A. M. (2013). A posição dos pronomes pessoais clíticos, in Gramática do Português. In (Amália Mendes, Luísa Segura, Maria Mota, Maria Bacelar do Nascimento, E. Raposo (eds.), pp. 2231-2302). Fundação Calouste Gulbenkian.
Costa, J., Martins, A. M., & Pratas, F. (2012). VP Ellipsis: New Evidence from Capeverdean Creole, in Romance Languages and Linguistic Theory 4, ed. In (pp. 155-175). Franco, S. Lusini & A. Saab. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins.
Martins, A. M. (2012). Deictic Locatives, emphasis and metalinguistic negation, in Parameter Theory and Linguistic Change. In (pp. 213-236). Galves, S. Cyrino, R. Lopes, F. Sandalo & J. Avelar. Oxford/New York: Oxford University Press.
Martins, A. M. (2012). Coordination, gapping, and the Portuguese inflected infinitive: The role os structural ambiguity in linguistic change, in Grammatical Change: Origins, Nature, Outcomes. In (pp. 274-291). Jonas, J. Whitman & A. Garrett. Oxford/New York: Oxford University Press.
Martins, A. M. (2012). Aparente variação na concordância sujeito-verbo no português europeu: ambiguidade quanto ao carácter singular ou plural do sujeito frásico, in Rosae: linguística histórica, história das línguas e outras histórias. In . Lobo et al. Salvador: EDUFBA.
Alberto, P. F., Martins, A. M., & Furtado, R. (1950). Latin and Portuguese in the Middle Ages. In The Historiography of Medieval Portugal (c. 1950-2010) (pp. 67-85). J. Mattoso, M. de Lurdes Rosa, B. Vasconcelos e Sousa & M. J. Branco. Lisboa: IEM - Instituto de Estudos Medievais.
Martins, A. M., & Nunes, J. (2010). Apparent Hyper-raising in Brazilian Portuguese: Agreement with Topics across a finite CP, in The Complementiser Phase: Subjects and Wh-dependencies. In (pp. 143-163). Oxford: Oxford University Press.